Biscoito de Arroz Engorda? E o Integral? Calorias e Análise

Em uma passadinha rápida pelos corredores dos supermercados, podemos encontrar uma série de opções de produtos apetitosos que podem ser utilizados para compor o nosso café da manhã ou para os lanchinhos que fazemos ao longo do dia quando a fome bate. Uma dessas opções é o biscoito ou bolacha de arroz.



No entanto, para as pessoas que estão de olho na saúde e boa forma, a influência que determinado lanchinho pode exercer em relação ao peso corporal pode afetar tanto – ou mais – quanto fatores como o preço e o sabor na hora de escolher quais produtos serão levados para casa.


A falta de nutrientes do biscoito de arroz

Os biscoitos ou bolachas de arroz não possuem muitos nutrientes ou fibras em sua composição. Seu consumo deve ser alternado com outras fontes de carboidratos como inhame, cará e macaxeira (mandioca), pois sabemos que a variação de uma dieta garante uma qualidade nutricional melhor.



A questão do índice glicêmico

Ainda que o biscoito de arroz possa ser uma boa opção para dietas de emagrecimento e para a reeducação alimentar, vale o alerta em relação ao elevado índice glicêmico do alimento.


Isso pode ser complicado para as pessoas que sofrem com diabetes ou seguem determinadas dietas, já que significa que o biscoito de arroz se torna açúcar no sangue de maneira mais rápida, o que pode fazer com que a fome retorne também mais rapidamente.


A questão do sódio

Outro problema em relação aos biscoitos e bolachas de arroz é que alguns deles podem apresentar um teor elevado de sódio. Um biscoito pode apresentar até 75 mg de sódio, o que representa 5% do que deve ser o consumo diário do nutriente.



Ainda que o corpo humano necessite do sódio para o controle da pressão arterial e do volume do sangue e para o funcionamento adequado dos músculos, a ingestão de uma quantidade elevada do nutriente não é nada boa para o organismo.


Os adultos saudáveis não devem consumir mais do que 2,3 mil mg de sódio diariamente, indivíduos com pressão arterial alta não devem ingerir mais do que 1,5 mil mg do mineral e quem tem insuficiência cardíaca congestiva, cirrose do fígado e doença renal podem precisa consumir quantias muito menores do que essas.


Já conforme a Associação Americana do Coração, os adultos devem limitar a sua ingestão de sódio para 1,5 mil mg do nutriente por dia.


Mas o que o excesso de sódio tem a ver como essa história de que o biscoito de arroz engorda?


Bem, de acordo com a Escola Médica da Universidade de Harvard dos Estados Unidos, um dos problemas provocados pelo excesso de sódio no organismo é a retenção de líquidos, condição que causa o inchaço no corpo, deixando-o com uma aparência mais volumosa.


Isso sem contar que o excesso de sódio também pode causar problemas graves como endurecimento dos vasos sanguíneos, pressão arterial alta, ataque cardíaco, acidente vascular cerebral (AVC) e insuficiência cardíaca.


Portanto, o ideal tanto para a boa forma quanto para a saúde é optar pelas versões dos biscoitos de arroz que contenham o menor teor de sódio em sua composição. Para descobrir quantos gramas de sódio um biscoito de arroz possui, confira a tabela nutricional apresentada na embalagem do produto.


A versão integral dos biscoitos de arroz

De acordo com o que encontramos, a melhor alternativa de biscoito de arroz é a integral, graças ao fato de conter mais fibras, conhecidas por contribuírem com a saciedade do organismo.


Entretanto, não é somente porque a embalagem afirma que o produto é integral que ele é saudável.


Vale a pena checar os ingredientes dos alimentos que consome – não somente a tabela nutricional, mas a lista que apresenta os ingredientes, que todo produto precisa trazer, em busca de ingredientes que possam estar associados ao aumento de peso ou prejuízos à saúde.


A legislação exige que os ingredientes apareçam nessa lista em ordem decrescente de quantidade – ou seja, aqueles que estão presentes em maior quantidade no alimento aparecem primeiro.


Para quem deseja emagrecer, é importante procurar na embalagem da bolacha de arroz tradicional ou integral pela presença de açúcar e optar pela versão que tenha o menor teor da substância.


No entanto, vale ressaltar que além do nome açúcar, a substância pode receber outras nomenclaturas e aparecer na embalagem com esses nomes diferentes, o que pode deixar o consumidor confuso ou desavisado.


Existem 45 nomes diferentes para o açúcar como: açúcar amarelo, açúcar de coco, açúcar de beterraba, açúcar de palma, açúcar de tâmara, açúcar invertido, açúcar mascavado, açúcar turbinado, mel, melaço, melaço de cana, melaço negro, malte de cevada, rapadura, adoçante à base de milho, caldo de cana desidratado, cana-de-açúcar, maltodextrina, sumo de fruta concentrado, sumo de fruta desidratado, goma-arábica, dextrose, frutose, sacarose, maltose, galactose, lactose, glucose, xilitol, eritol, manitol e sorbitol.


Portanto, se você encontrar quaisquer desses nomes entre os primeiros itens da lista de ingredientes do seu biscoito de arroz tradicional ou integral, lembre-se de que isso indica que o produto tem quantias expressivas de açúcar. Pior ainda se mais de um nome aparecer entre os primeiros nomes da lista.


O açúcar e a questão do peso

O especialista no fígado, doutor Juan Gallegos, explicou que quando há o consumo de muito açúcar, todo esse teor da substância precisa ser armazenado em algum lugar: de acordo com o especialista, ele vai parar dentro das células de gordura.


Gallegos esclareceu também que, depois que o açúcar em excesso é ingerido e entra no organismo, ele vai parar na corrente sanguínea. Quando o pâncreas percebe que os níveis de açúcar no sangue estão muito elevados, secreta o hormônio insulina, que faz com o açúcar parta para algumas células, principalmente as do fígado e as musculares, para que ele seja utilizado como energia.


O medico ainda ressaltou que, se essa energia em excesso não é utilizada, ela precisa ser armazenada em algum lugar. Segundo ele, se o açúcar elevado no sangue não é utilizado de alguma maneira, ele acaba sendo transformado em depósitos de gordura no corpo.


Quando o fígado está sobrecarregado pelo excesso de açúcar, ocorre o acúmulo de gordura nas células hepáticas enquanto elas tentam adaptar-se a toda essa gordura extra que está chegando ao organismo, completou o especialista. De acordo com ele, esse processo está associado não somente a problemas com o peso, mas também com a diabetes e à doença hepática gordurosa.


Mais importante do que saber se o biscoito de arroz engorda

É lembrar que não é um único alimento que engorda ou emagrece – o seu peso será, em grande parte, resultado de todos os seus hábitos alimentares. Uma pessoa pode não engordar se comer o biscoito de arroz moderadamente de vez em quando dentro de uma dieta controlada, saudável, equilibrada e nutritiva.


Enquanto isso, outra pessoa pode aumentar o peso mesmo se comer o biscoito de arroz moderadamente de vez em quando, mas descuidar da dieta ingerindo guloseimas, frituras e junk food calóricas, cheias de açúcar e pobres em nutrientes.


Portanto, se você deseja emagrecer ou não engordar, procure seguir toda uma alimentação com controle, equilíbrio, saúde e nutrição. Caso seja difícil fazer isso por conta própria, conte com o acompanhamento de um nutricionista, que saberá indicar um plano alimentar que te ajude a alcançar seus objetivos, ao mesmo tempo em que seja saudável e nutritiva.


Além disso, o profissional também pode te ensinar como incluir o biscoito de arroz na sua dieta, de modo que ele não prejudique o processo de perda ou manutenção do peso.


© Copyright - 2019 Eu Consigo Emagrecer. Todos os direitos reservados. Políticas de Segurança e Privacidade

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon